11.01.2010

Família


Uma noite, um jantar, uma casa cheia de pessoas boas, pessoas grandes, daqueles que nos enchem o coração até mais não. Pessoas que queremos sempre por perto. Apesar da falta de laços de sangue, não hesitamos em apelidarmo-nos e brincarmos com graus de parentesco. Se vier mais alguém, senta-se à mesa co'a gente, como cantava a grande senhora. As horas passam, os copos passam de vazios a cheios. Saúde! , distribuem-se abraços. Canta-se à desgarrada, todos participam, nem que seja com um sorriso tímido. Somos verdadeiros entre nós, deixámos as máscaras à porta. Em família podes ser quem és, não há nada a esconder. No final retornamos a nossas casas com o peito cheio.

Boa noite a todos!